quinta-feira, 16 de março de 2017

AO RITMO DAS ESTAÇÕES

                               



                                 AO  RITMO DAS ESTAÇÕES

Para se conhecer bem o Alentejo é preciso visitá-lo em todas as estações.
A Paisagem muda muito ao longo do ano são sazonais as actividades rurais mais interessantes.
Em Setembro as vindimas. Pode vê-las em qualquer ponto da estrada onde haja vinhas.
Em Outubro, passeie sem destino para contemplar a paleta de castanhos em que a lavra transforma o Alentejo.
Em Novembro prove o vinho novo no S.Martinho. É uma excelente altura para visitar lugares em festa como Marvão, Cabeção, Borba ou Vila de Frades.
Entre Novembro e Janeiro, veja a apanha da azeitona( a tradicional,não mecanizada) e entre num lagar
Na Primavera, o campo enche-se de milhares de flores silvestres que são tema inesgotável para quem gosta de fotografar. É por ocasião dos primeiros calores que se faz a tosquia das ovelhas.Pergunte onde pode assistir.




Na 5ª Feira da Ascensão, participe no ritual do Dia da Espiga.Junte-se à gente que vai encontrar pelos campos e faça também o seu ramo como manda a tradição: 5 espigas de trigo, 5 papoilas, 5 ramos de oliveira, 5 malmequeres brancos e 5 malmequeres amarelos.Pendure-o atras da porta de entrada durante um ano, acreditando que ele vai atrair para si e para os seus, o pão, a paz e a alegria.












Subitamente, os amarelos tomam a paisagem. É entre Junho e Julho que se faz a ceifa das searas, momento por excelência para imaginar, no pino do calor, a vida dos homens e das mulheres que, há uns anos atrás, faziam à mão e de sol a sol o que hoje é feito por ceifeiras-debulhadoras e maquinas de enfardar. Mais tarde, quando ouvir o cante alentejano vai percebê-lo melhor.
No vale do Sado é um momento por excelência para ver os arrozais e, sobre eles, as pinceladas rosa e branco do voo dos flamingos
Entre junho-julho, e por vezes Agosto, não perca o descortiçar dos sobreiros e a surpresa do ocre laranja dos troncos nus que,de repente, ilumina o montado. 
Uma vez que o sobreiro só pode ser descortiçado de 9 em 9 anos, recorra aos seus anfitriões para lhe indicarem locais de observação.
Em qualquer altura do ano, sempre que sentir no ar o cheiro forte da madeira queimada, pare e vá espreitar os fornos tradicionais de carvão de azinho ou de  oliveira.
Texto:O Melhor do Alentejo-Guia de Sugestôes- Autor:Ana Barbosa/TurAventur  1ª Edição 2008

Sem comentários: