segunda-feira, 10 de julho de 2017

TEMAS DO BLOGUE

                                         


                         TEMAS DO BLOGUE


- ALENTEJO................................................24/03/2017
- UM CONSELHO DE AMIGO.................22/03/2017
- AO CHEGAR AO ALENTEJO...............22/03/2017
- ROMA NO ALENTEJO...........................22/03/2017
- ATMOSFERAS ÁRABES.........................22/03/2017
- ÉVORA PATRIMÓNIO DA HUMA........19/03/2017
- BARRAGENS.............................................17/03/2017
- BARRAGEM DO ALQUEVA...................17/03/2017
- AO RITMO DAS ESTAÇÕES..................16/03/2017
- MEMÓRIAS A NÃO PERDER................
- AS NOSSAS CASA CAIADAS.................26/03/2015
- PETISCOS..................................................25/03/2015
- O CANTE ALENTEJANO.......................27/11/2014
- VINHOS ALENTEJANOS.........................7/10/2014
- OBSERVAÇÃO DAS AVES....................... 3/10/2014
-PARQUES DE CAMPISMO......................30/08/2014
- ALENTEJO À BEIRA DA ÁGUA.......... .15/08/2014
- MUSEUS DO ALENTEJO........................20/02/2014
- ELXADAI PARQUE...................................11/11/2013
- AS DEBULHAS............................................7/11/2013
- AS TABERNAS.............................................5/11/2013
- AS CEIFAS....................................................5/11/2013
- APANHA DA AZEITONA.........................30/10/2013
- AS MONDAS...............................................29/10/2013
- A FAINA DAS SEMENTEIRAS...............
- CIRCUITOS ALENTEJANOS...................9/11/2012
 -BAIXO ALENTEJO.....................................9/11/2009
- UM POUCO DE GASTRONOMIA............7/11/2009
-MOBILIÁRIO ALENTEJANO..................31/10/2009
- CHAMINÉS..................................................31/10/2009
- O MONTE.....................................................31/10/2009
- ARTESANATO.............................................31/10/2009
- HISTÓRIA DE CATARINA EUFÉMIA....26/10/2009
-ALDEIA TIPICA ALENTEJANA...............26/10/2009
- CEIFEIRAS E TRAJOS..............................21/10/2009
- FLORBELA ESPANCA............................... 6/08/2009
- VIOLA CAMPANIÇA.................................. 4/08/2009
 -ALCUNHAS................................................... 1/08/2009
- PRAIAS DO LITORAL ALENTEJANO....2/07/2009
-FLUVÁRIO DE MORA..................................9/07/2009
- BADOCA SAFARI PARK..............................8/07/2009
- ARVORES DO ALENTEJO........................30/06/2009
- CASTELOS DO ALENTEJO......................29/06/2009
 -LENDAS E MITOS.......................................26/06/2009
 -CURIOSIDADES TERRAS ALENTEJ......25/06/2009
- SE GOSTAS DE ARQUEOLOGIA............. 25/06/2009
- LIVROS S/ ALENTEJO...............................16/06/2009
- OLEOS S/TEMA ALENTEJO....................16/06/2009
 - PANOIAS A MINHA TERRA.....................16/06/2009
 -DOCES TENTAÇÕES...................................16/06/2009


                                                       






















sexta-feira, 24 de março de 2017

ALENTEJO


                                                  _______________________________________________________________________________                                              
Planícies a perder de vista combinam com sol e calor e impõem um ritmo lento e compassado. É o Alentejo.
No interior, a planura imensa, searas louras ondulando ao vento;no litoral praias selvagens, duma beleza agreste e inexplorada.
A amplitude da paisagem é entrecortada por sobreiros ou oliveiras que resistem ao tempo. Aqui e ali ergue-se um recinto muralhado, ou a simplicidade de uma anta a lembrar a magia do lugar.Nos montes, casas térreas e brancas coroam pequenas elevações, os castelos evocam lutas e conquistas e os pátios e jardins atestam influências árabes, que molduram povo e natureza.

No Alentejo a força da terra marca o tempo. (http://www.visitalentejo.com/ )



A história do Alentejo anda de mãos dadas com a história de Portugal e da Península Ibérica, ex hispânicos,assim como, pertencentes à época de civilizações romana, árabe e cristãs. Em muitos lugares no Alentejo encontram-se provas da civilização fenícia existente à 3000 anos atrás.








Fenícios,celtas,romanos todos eles deixaram um importante legado da era antes de Cristo, na região que é hoje o Alentejo.
Uma terra onde a cultura e a tradição caminham lado a lado. Os romanos deixaram nesta região o legado mais importante, escritas, mosaicos, cidades em ruínas, monumentos, mas não devemos esquecer as civilizações mais antigas que passaram pela zona deixando legados como monumentos megalíticos, como antas.
(Historia Alentejo Portugal).


 PLANICIE DOURADA
Aqui onde a urgência do tempo e o alcance do olhar se perdem, onde só a sombra do chaparro amansa o calor que desce a pique, onde a brancura das casas desalinha o curso das searas. Aqui, onde os ranchos de homens de tez escurecida pelo sol entoam cantares melancólicos, a viola campaniça solta notas e os costumes ancestrais tardam em ser esquecidos. Aqui, onde os árabes, derrotados por D.Afonso Henriques em terras de Castro Verde, ficaram raizes que até hoje dominam nos monumentos, na lingua e no ser destas gentes.
É aqui o Alentejo.Porção imensa de terra, de planuras que de longe a longe se erguem em forma de serras,pequenas, a caminho do Algarve, lá para os lados de Almodôver ou de Mertola, terra do Guadiana, do Pulo do Lobo, do Pomarão, de rtiquezas arqueológicas e das mais brancas do país, que, só em Serpa encontra par.

O Norte pertence a Barrancos e às influências andaluzes que a sí próprio somou;à mouraria e ao Castelo de Moura, e aos vinhos que atordoam em Cuba ou na Vidigueira.
Aqui onde as extensas herdades e casas agricolas desde sempre deram trigo e os minérios enriquecem o subsolo de Aljustrel, Neves Corvo,e, noutros tempos, de S.Domingos.
Aqui onde Ourique preserva o antigo povoado do Castro Cola, local cimeiro sobre a planicie, e as demais povoações,à ausência de castelos ou conventos, como em Beja se distinguem, mostram igrejas e ermidas, simples e belas.

Aqui, onde a natureza,o espaço e o tempo duram,brandos ,desconhecendo opositores.(Da revista Portugal Turistico - do Jornal Público de 22/7/2000)
______________________________________________________
       ENCONTROS COM A HISTÓRIA
Para que não se perca nesta história milenar, será importante que tenha uma ideia sobre as épocas que mais e melhor marcaram a paisagem rural e urbana do Alentejo.
Dos tempos recuados do Paleolitico até ao Sec.XII propomos-lhe que se concentre em 3 momentos fumdamentais: o neolitico que nos oferece interessantes expoentes do magalitismo, e os  peridos da ocupação romana e árabe, que nos deixaram importantes heranças materiais e imateriais em todo o território.



Durante a chamada Reconquista Cristã, Portugal nasce como Nação, o que significa que, desde o Sec.XII até aos nossos dias, temos entre mãos quase 900 anos de História.
Deste longo periodo,sugerims-lhe que descubra alguns castelos e centros históricos de sabor medieval e que visite os ex libris da arquitectura civil e religiosa, edificados nos tempos prosperos dos Descobrimentos e na época da exploração do ouro do Brasil (Sec.XV-XVIII).

                                        Do livro - Melhor do Alentejo-Turismo de Portugal-Alentejo


______________________________________________________

                                       ALENTEJO
                          
                 

Ocupando cerca de um terço da superfície total de Portugal Continental, e atravessando 4 distritos, o Alentejo é um espaço de diversidade e riqueza natural sem fim.
Temos os tapetes de Arraiolos, a olaria de S.Pedro do Corval, os barros de Nisa e Estremoz...
Temos os excelentes queijos de Serpa, Évora e Nisa...
Temos vinhos de eleição, dos clássicos Reguengos, Vidigueira,Borba e Redondo aos soberbos Pêra Manca, Esporão e Quinta do Mouchão...

Temos os azeites finos, como nenhuns ,de Moura a Campo Maior.....
Temos as linguiças de Moura e os presuntos de Barrancos....
Temos uma doçaria de dar vida a um morto......-
e.........
Temos acima de tudo o orgulho de sermos alentejanos. O Alentejo será sempre o Alentejo.-.....

_____________________________________________________

                                          ALENTEJO


Planícies de flores selvagens, albufeiras tranquilas, cidades e vilas hospitaleiras e horizontes a perder de vista são as imagens
que melhor descrevem o Alentejo.
De: Itinerários Portugal) Turismo de Portugal.
_______________________________________________________________________
Há já algum tempo, que tive conhecimento de umas frases , às quais achei muita piada , cheias de bairrismo alentejano, e que com muito gosto vou transcrever:

Não é Alentejano quem quer

Ser Alentejano não é um dote, é um Don.
Não se nasce Alentejano,
É-se Alentejano

Portugal nasceu no Norte

Mas foi no Alentejo que se fez homem.
Guimarães é o berço da Nacionalidade
Évora é o Berço do Império Português

No meio das montanhas e das serras

Um homem tem as vistas curtas
Só no coração do Alentejo
Um homem consegue ver ao longe

Para um Alentejano, o caminho faz-se caminhando

e só é longe o sítio onde não se chega
sem parar de andar

Demasiada gente que não consegue terminar o que começa, desiste quando a glória está perto

 e o mais difícil foi feito.
Ou seja, muitos portugueses e poucos alentejanos

Deus fez a mulher para companheira do homem,

Mas depois teve de fazer os Alentejanos,
para que as mulheres também tivessem algum prazer.
Na cama e na mesa um Alentejano nunca tem pressa.

Um abraço alentejano  Amilcar

quarta-feira, 22 de março de 2017

UM CONSELHO DE AMIGO


             

                                  
Se forem de férias para o Algarve, deixem a auto estrada para os apressados e vão pelo interior alentejano. Misturem-se na brancura do casario das belas aldeias e na vastidão dos matizados das planícies.
O Alentejo é uma região imensa cheia de atractivos e potencialidades.
O País é lindo e o nosso Alentejo dá um enorme contributo para isso. Como alentejano tenho um grande orgulho em percorrer os vales e os montes,  onde aprendi a amar a solidão de um simples chaparro perdido no matizado dos campos.





Para todos um grande abraço Alentejano

Amilcar

Campo a perder de vista.Cidades e aldeias bem conservadas. Tradições que persistem e nos ajudam a compreender as nossas raízes.




As palavras seguintes do escritor Urbano Tavares Rodrigues dizem tudo:

«Não há paisagem tão lindamente portuguesa como a combinação dos montados de sobreiros e azinheiras, onde pastam as varas de porcos e as vacas vermelhas, com os olivais que refulgem nas chãs, à beira de infinitas searas de trigo ou cevada. Essa é a imagem emblemática do campo alentejano.

AO CHEGAR AO ALENTEJO


2



                                            

                                            

                                             
__________________________________________________________________________________


Quando se chega a uma aldeia, a uma vila ou a uma cidade do Alentejo sentimos um ar de acontecimento, como uma poeira que fica em suspenso, uma poeira do tempo e das pessoas, um ar leve ou pesado, mas nunca um ar neutro.















Se Fores ao  Alentejo

Se fores ao Alentejo

Não leves vinho nem pão
Leva o coração aberto
E ao lado do coração
Leva a rosa da justiça
E o teu filho pela mão

Se fores ao Alentejo

Não leves vinho nem pão
Leva o teu braço aberto
Para abraçar teu irmão
Esse irmão que está tão perto
Do teu aperto de mão
E que tão longe amanhece
Nos campos da solidão

(de: Alentejo na Poesia-autor Marcos Olimpio Gomes dos Santos)











 A calma que pede um olhar tranquilo é feito de memorias, de histórias que não se apagam e que deixam nas ruas e nas casas,nas pedras e na cal, a marca de uma longa, muito longa vida.
É assim em todo o Alentejo
(palavras de Alfredo Saramago no Livro-Guia do Alentejo
                                 
Algumas Fotos do autor do Blogue. ________________________________________________________________________________

AO CHEGARES AO ALENTEJO, LEMBRA-TE
                                                                                                                           QUE O  ALENTEJO................
É Sol
É Musica
É Mar
É Céu
É Aventura
É Zen
É Radical

O ALENTEJO

É Charme
É história
É Cultura
É para si.....                                                         
O ALENTEJO
É Noite
É Dia
É Romance
É Gastronomia
É Verde 
É Azul 
É Céu
O ALENTEJO
É Alegria                                                      
É Sol
É Divertimento
É MAR
É Tempo
É Riso

O ALENTEJO É PARA EXPERIMENTAR.................................      Palavras extraidas de:
                                                                         www.visitalentejo.pt
                                                                               (Turismo do Alentejo)



------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Alentejo no Top 10 da Maior Editora de Turismo europeia

O Alentejo está no Top 10 dos melhores destinos turisticos da Europa na classificação da Lonely Planet, a maior editora de guias de viagens do mundo.
Para a Lonely Planet, o Alentejo tem "um fascinio magnético" e é guardião de "maravilhas ocultas"
As várias distinções da Unesco(Évora,cante e chocalhos) e os espaços pré-históricos também pesaram na escolha da  editora, que é propriedade da BBC Worldwide.

A nossa região ocupa a sexta posição numa lista em que Zagreb, na Croácia, é considerado o principal "destino a descobrir" na Europa.

Do  jornal Diário do Alentejo de 26 Maio 2017

----------------------------------------------------------
              NO DIA 14 DE JUNHO 2017  A CASTRO VERDE  FOI ATRIBUIDO A CLASSIFICAÇÃO COMO,
 RESERVA DA BIOSFERA DA UNESCO

O Presidente da Comunidade Internacional do Baixo Alentejo (Cimbal), João Rocha, congratulou-se com a classificação de Castro Verde como Reserva da Biosfera da Unesco, considerando que vem reconhecer um trabalho em defesa da biodiversidade.
(Diário do Alentejo 23/Junho/2017)
__________________________________________________________________________________
 

ROMA NO ALENTEJO

                                                                                                       Mirobriga

O periodo romano no Alentejo iniciou-se no Sec. II a.C. e prolongou-se até à queda do Império, no Sec.V .Desses templos e da sua influencia em épocas  posteriores, ficaram-nos multiplas memórias:da exploração mineira e da agricultura feita em grandes propriedades coroadas por casas  luxuosas e ricamente decoradas(as villae); das industrias de cerâmica, de extracção de sal, da salga de peixe e de construção naval; das fortalezas, templos ,pontes,calçadas,santuários, teatros, barragens,aquedutos; dos municipios como estrutura base da administração local. E ficou-nos,obviamente, o latin como lingua mãe do português.
Os vestigios deste periodo podem visitar-se em e a partir de núcleos urbanos.
No eixo Marvão-Alter do Chão-Monforte, veja a Civitas de Ammaia(S.Salvador de Aramenha,Marvão); a ponte de Vila Formosa(estrada Alter do Chão-Ponte de Sôr); a vila de Torre de Palma( estrada Monforte-Cabeço de Vide); e o Núcleo Museológico da Igreja da Madalena (Monforte).
Em Évora, a muralha romano-godo-árabe, o Templo Romano, as Termas dos Paços do Concelho, o Arco de D.Isabel e a casa de Burgos (Centro Histórico); fora da cidade, as Termas da vila de Tourega (estrada Évora-Alcáçovas,                  
Entre Alvito,Vidigueira,Cuba e Beja, a ponte de Vila  Ruiva(estrada Vila     TRuiva-Albergaria 
dos Fusos) e   a vila de S.Cucufate e Casa doArco(Vila de Frades)
Marvão           


Em Beja,  as Portas de Évora e de Avis, os gigantescos capitéis junto ao museu Regional e o Núcleo       
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                             Casa do Arco-Vila Frades                                                                                                                                                                                                                                                                                                                 
 Museológico Romano da Rua do Sembrano, onde encontram  também inportantes vestígios da Idade do Ferro.
Entre Beja,Castro Verde e Mértola a vila de Pisões(estrada Beja Aljustrel, junto a Penedo Gordo); o Museu da Lucerna(Castro Verde); e o Nucleo Museológico Romano(Mértola).

No litoral, a Estação Arqueológica de Miróbriga(Santiago do Cacém) e a Cripta Arqueológica 
 O Castelo(Alcácer do Sal), l              Portas de Évora em Beja                   l ocalizada nos subterrâneos do antigo Convento  Portas de Évora em Beja                                              de   Aracoeli.

(Texto  extraido do livro O melhor do Alentejo-Turismo de Portugal)
                       
                       ATMOSFERAS  ÁRABES

   
                                          Mesquita de Mértola

O período da ocupação árabe,iniciado no Sec.VIII, teve, no sul do país, uma duração de quase 500 anos.Desta longa vivência partilhada, herdámos plantas e técnicas agrícolas, sistemas de captação e reserva de água, hábitos alimentares, várias centenas de palavras, técnicas construtrivas, gostos decorativos, estilos artísticos, ambientes urbanos.
São muçulmanos os arquitectos de muitos dos nossos castelos da Reconquista e várias igrejas cristãs foram reedificadas sobre primitivas mesquitas. Mértola a vila mais árabe de Portugal, é o sítio certo para se compreender esta herança.
A Mesquita, posteriormente adaptada a igreja cristã, é o ú nico espaço religioso árabe conservado no nosso país. O Núcleop Museológico Islâmico, com um valioso espólio fruto de 20 anos de investigação, oferece-nos o melhor testemunho e a mais pedagócia lição sobre a riqueza do período da ocupação árabe do Sul de Portugal.
Se quiser visitar Mértola em tempo de festa, escolha as datas em que ela é de arromba: durante o Festival Islâmico, anos ímpares, no mês de Maio.
(do livro Turismo de Portugal- O melhor do Alentejo)

domingo, 19 de março de 2017

 ÉVORA PATRIMONIO DA HUMANIDADE  


Évora é uma referencia incontronável para quem vem ao Alentejo motivado pelo tema do Património.Classificada pela Unesco Património da Humanidade, ocupa um justo lugar de relevo em qualquer itinerário de Turismo Cultural.


O seu património arquitectónico e artistico é tão omnipresente e impressivo que,por si só, guia os passos de quem gosta de caminhar sem rumo: do romano ao neoclássico, passando pelo gótico e pelas várias expressões do manuelino,



da renascença e do barroco, todas as épocas da história estão documentadas com obras que nosn enchem os olhos e a alma. Referindo só o essencial, precisará de algumas horas para 



visitar o Templo Romano, a Catedral de Santa Maria,a Igreja de S.Francisco e a Capela dos Ossos, o Palácio D.Manuel, a Ermida de S.Bras,  o Mirante da Casa Cordovil, aa Janela Manuelina da Casa de Garcia de Resende, o antigo Colégio do Espirito Santo, actual Universidade, a Igreja da Miserricordia, a Praça do Giraldo e o Teatro Gaqrcia de Resende.
Como rapidamente perceberá, Évora não é um museu de peças soltas. O que a torna única é ser um conjunto urbano de excepção, com mil e um detalhes para descobrir, onde se sente o pulsar de uma cidade contemporanea, culturalmente^culturalmente activa, que se integra e se revê, naturalmente, no Património que soube preservar.
No livro Guia Turistico- O Melhor do Alentejo -Turismo Portugal.